Najila Trindade depõe no Rio sobre postagens em rede social de Neymar

A modelo Najila Trindade prestou depoimento, nesta quarta-feira (11), sobre a publicação de fotos suas no Instagram do jogador Neymar, logo após vir à tona o caso entre os dois, em 1º de junho deste ano. O delegado que preside o inquérito, Pablo Sartori, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), ouviu Najila e disse que vai pedir a prorrogação do inquérito por mais 30 dias.

Najila chegou à delegacia, que fica na Cidade da Polícia, no início da tarde, e falou com a imprensa pouco depois das 15h, após prestar depoimento. Ela, que ontem foi indiciada por três crimes, no inquérito que corre em São Paulo, considerou que houve preconceito por ser mulher.

“Com certeza. Eu senti ele [preconceito] na pele, todos possíveis. Não tem respeito, eu fui maltratada, humilhada. Hoje eu entendo porque as mulheres se calam. É bem difícil. Eu estou sendo muito forte, porque fere a gente, como mulher, como mãe, como filha”, desabafou a modelo.

Najila sustenta que Neymar, quando gravou um vídeo sobre o caso, em seu Instagram, utilizou fotos dela com intuito de vingança: “Foi um crime óbvio que ele cometeu, de exposição, para me humilhar, para se vingar”.

Perguntada como estava sua vida profissional, a modelo disse que ainda não conseguiu elaborar a respeito, pois primeiramente está tentando se reequilibrar emocionalmente. “Está bem complicado. Não estou tendo vida no momento. Só estou preocupada em me cuidar, em ficar bem emocionalmente e fisicamente, cuidar do meu filho, pois minha família está bem abalada.”

Segundo o delegado que preside o inquérito, o pedido de prorrogação, por mais 30 dias, se deu porque Najila demorou muito a vir depor e também porque o Ministério Público (MP) requisitou informações referentes ao inquérito de São Paulo.

Mais:   Câmara mantém nova fórmula de cálculo de aposentadorias

Arquivamento

O advogado Cosme Araújo, que defende Najila, lamentou o arquivamento, em julho, do inquérito sobre o suposto estupro e disse que causou surpresa o indiciamento feito no inquérito que corre em São Paulo.

“Acho que as coisas vão ainda caminhar de outra forma. O arquivamento do inquérito foi esdrúxulo, não poderia ter acontecido. Mas, infelizmente, é muito difícil uma guerra onde de um lado está a formiga e do outro o elefante. Em termos de desproporcionalidade, em termos de poder econômico e financeiro”, disse Araújo.

O jogador Neymar sempre negou que tenha havido estupro da modelo, em 15 de maio deste ano, em um quarto reservado por ele em um hotel em Paris. O jogador também pagou as passagens de Najila, a quem conheceu pela internet. A defesa de Neymar sustenta que não foi ele quem postou as imagens da modelo em seu Instagram, que teriam sido colocadas por um de seus assessores.
 

Edição: Fábio Massalli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *